Refugiado detido por suspeita de terrorismo na Alemanha se suicida na prisão

(Atualiza com confirmação oficial da morte e reações).

Berlim, 12 out (EFE).- O suposto terrorista Jaber Albakr, detido na madrugada de segunda-feira na cidade de Leipzig, no leste da Alemanha, suspeito de planejar um atentado iminente, se suicidou na cela onde era mantido preso, informou o governo do estado federado da Saxônia nesta quarta-feira.

O sírio, que tinha 22 anos e era refugiado na Alemanha, se matou esta noite na penitenciária de Leipzig. De acordo com o jornal "Der Spiegel", Albakr, que escapou no sábado do cerco policial montado em volta de sua casa e que foi entregue aos agentes por compatriotas sírios, estava com baixa vigilância e tinha começado uma greve de fome.

Em nota, o governo da Saxônia informou que amanhã serão dados detalhes sobre o caso em entrevista coletiva convocada para às 9h GMT (6h em Brasília).

O serviço secreto da Alemanha tinha informações que indicam que o preso "poderia realizar um atentado nesta semana", informou hoje o presidente do Escritório Federal para a Proteção da Constituição, Hans-Georg Maassen, ao jornal "Frankfurter Allgemeine Zeitung". Por isso, os agentes iniciaram uma operação para prendê-lo no sábado, mas Albakr conseguiu fugir de sua casa na cidade de Chemnitz, também na região leste do país, onde foram encontrados explosivos e detonadores.

Sua fuga gerou várias críticas à atuação policial e a notícia do suicido foi recebida com desconcerto.

Através de um chat na internet utilizado por sírios que solicitaram asilo na Alemanha, o suspeito pediu para passar a noite na casa de alguém e foi acolhido por três conterrâneos em Leipzig. Quando sua identidade foi descoberta, Albakr foi amarrado e entregue à Polícia.

Antes, Maaseen tinha afirmado que informações indicavam que Albakr planejava um atentado contra os trens da Alemanha. Depois, os indícios apontariam para um ataque contra o aeroporto de Berlim.

O suposto terrorista era vigiado pelos serviços secretos 24 horas por dia. Quando comprou um tubo de cola em uma loja de produtos barateiros as forças de segurança entenderam que ele tinha todos os itens necessários para fabricar uma bomba, por isso iniciaram a operação para detê-lo.

O ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière, explicou hoje que não está claro quando o jovem se radicalizou. Albakr entrou na Alemanha em fevereiro do ano passado e foi reconhecido como refugiado em junho. Seus dados foram analisados e nada suspeito foi encontrado.

De acordo com informações divulgadas pela emissora pública regional "MDR", Albakr tinha viajado de volta à Síria em pelo menos uma ocasião desde que foi aceito como refugiado pela Alemanha. No ano passado, ele foi duas vezes à Turquia e passou algum tempo na cidade síria de Idlib.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos