Poroshenko acusa Rússia de bloquear libertação de prisioneiros

Kiev, 13 out (EFE).- O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, acusou nesta quinta-feira a Rússia de bloquear a libertação de prisioneiros, um dos pontos fundamentais dos acordos para regular o conflito no leste do país, em uma conversa telefônica com seu colega francês, François Hollande, informou a presidência ucraniana.

O líder ucraniano denunciou que Moscou "bloqueia o processo de libertação de reféns", em alusão aos prisioneiros ucranianos que permanecem em poder das milícias separatistas pró-russas que controlam parte das regiões orientais de Donetsk e Lugansk.

Além disso, afirmou que a situação na zona de conflito, que segundo dados da ONU deixou cerca de 10 mil mortos, piorou ultimamente devido ao aumento do número dos ataques por parte dos "guerrilheiros russos, que usam armamento pesado".

Na conversa telefônica participou também Christoph Heusgen, assessor para Assuntos de Segurança da chanceler federal alemã, Angela Merkel.

A chefe do governo alemão propôs realizar em Berlim uma cúpula no chamado "formato de Normandia" (com os líderes da França, Alemanha, Rússia e Ucrânia) para buscar vias de impulsionar a regulação do conflito nas regiões orientais ucranianas,

A organização desta cúpula sobre a Ucrânia, que inicialmente se preparava para o dia 19, poderia piorar pelas atritos diplomáticos entre Hollande e o presidente russo, Vladimir Putin.

O presidente russo decidiu na terça-feira passada anular uma visita a Paris programada na próxima semana, prévia à cúpula em Berlim, depois que Hollande advertiu que só o receberia se fosse para discutir o conflito na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos