Paquistão acusa Índia de genocídio e de enganar demais países do Brics

Islamabad, 16 out (EFE).- O ministro de Relações Exteriores do Paquistão, Sartaj Aziz, acusou neste domingo a Índia de ter praticado um genocídio na região da Caxemira e ainda afirmou que o governo de Nova Délhi mentiu para os demais países-membros do Brics (Brasil, Rússia, China e África do Sul) ao denunciar Islamabad de financiar grupos terroristas.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, chamou o Paquistão de "nave-mãe do terrorismo" durante a cúpula dos Brics, da qual a Índia é anfitriã, e defendeu uma condenação de todos os apoiadores do terrorismo, incluindo o país vizinho.

"O Paquistão se une na luta contra o terrorismo, incluindo o terrorismo patrocinado e financiado pelo estado indiano em território paquistanês", indicou Aziz em comunicado.

O ministro das Relações Exteriores do Paquistão indicou que Modi está enganando os colegas do Brics e do BIMSTEC, o mecanismo de Cooperação Econômica e Técnica Multisetorial do Golfo de Bengala.

"A liderança indiana está tentando desesperadamente esconder as brutalidades cometidas por ela na região ocupada de Jammu e da Caxemira", indicou Aziz, em alusão à Caxemira indiana, e os protestos que completaram hoje cem dias iniciados depois da morte de um líder insurgente da região.

Os confrontos entre os manifestantes e a polícia na Caxemira, região também reivindicada pelo Paquistão, já deixaram mais de 90 mortos e 10 mil feridos.

"O povo da Caxemira ocupada pela Índia foi submetido a um genocídio por exigir o direito fundamental de autodeterminação", indicou Aziz, seguindo a tese de Islamabad de que as atividades terroristas realizadas na região são promovidas pela população e não por grupos insurgentes, como afirma Nova Délhi.

O chanceler afirmou que o Paquistão se une a todos os membros do Brics para condenar o terrorismo e reafirma o "completo compromisso de lutar contra esta ameaça sem nenhuma discriminação, incluindo o patrocinado pela Índia em território paquistanês".

A Índia lançou uma ofensiva diplomática internacional contra o Paquistão após os ataques promovidos por insurgentes, supostamente paquistaneses, que provocou a morte de 19 soldados em setembro.

Nova Délhi, que acusa reiteradamente o governo do país vizinho de tolerar e financiar grupos terroristas que operam em seu território, rotulou o Paquistão de "estado terrorista" e condenou Islamabad em todos os fóruns diplomáticos internacionais.

Ambos os países disputam desde sua separação em 1947, após a saída do Império Britânico, a soberania sobre a Caxemira, território pelo qual travaram duas guerras e vários conflitos menores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos