Vice republicano contradiz Trump e acusa Rússia de tentar influenciar eleição

Washington, 16 out (EFE).- O candidato republicano à vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, voltou a evidenciar neste domingo a lacuna que separa suas opiniões sobre a Rússia e as de seu companheiro de chapa, Donald Trump, ao acusar o Kremlin de realizar ciberataques para tentar influenciar as eleições no país.

Pence, que já tinha se distanciado de Trump na avaliação das ações russas na Síria, contradisse o empresário ao afirmar que "não há dúvidas" de que a Rússia hackeou os e-mails do Partido Democrata com o objetivo de influenciar o pleito do próximo dia 8 de novembro.

"Deveria haver graves consequências para a Rússia ou qualquer nação soberana que esteja interferindo na privacidade ou na segurança dos EUA", afirmou Pence em entrevista à "Fox News.

"Minha esperança é que, como disse o vice-presidente Joe Biden na manhã de hoje em outra emissora, haja consequências. Temos que proteger a segurança cibernética deste país. Minha esperança é que o atual governo atue para responder à Rússia", completou.

A campanha da adversária de Trump no pleito, Hillary Clinton, acusa desde julho o Kremlin de ter atacado a infraestrutura do Comitê Nacional Democrata para roubar 20 mil e-mails e publicá-los através do site Wikileaks.

Após meses de investigações, o governo dos EUA concluiu na última semana que a Rússia está por trás dos ataques e prometeu uma resposta "proporcional" a Moscou.

Mas Trump, que em várias ocasiões expressou admiração pelo presidente russo, Vladimir Putin, e defendeu melhores relações com Moscou, colocou em dúvida a acusação do governo norte-americano em seu último debate contra Hillary, realizado há uma semana.

"Sempre que ocorre algo ruim, eles gostam de dizer que foram os russos. Mas ela (Hillary) não sabe se os russos fizeram isso. Talvez nem tenha havido ataque", indicou Trump.

Além disso, Pence afirmou que seu companheiro de chapa aceitará o resultado das eleições de novembro apesar das múltiplas acusações do magnata de que as eleições estão sendo "manipuladas".

"Uma das grandes tradições dos Estados Unidos é a transferência pacífica de poder. As eleições sempre são um pouco tensas, mas como Trump disse no primeiro debate e eu repito agora, vamos aceitar a vontade do povo americano", disse o vice republicano.

À medida em que perde apoio nas pesquisas, Trump aumento o tom das críticas e insiste em afirmar que as eleições estão sendo manipuladas contra ele. Além disso, ele pediu que seus eleitores fiscalizem os locais de votação para evitar possíveis fraudes.

A atitude gerou preocupação de ambos os partidos, que temem que o magnata se negue a aceitar uma possível derrota para sua adversária, gerando uma crise de confiança no governo que poderia incitar respostas violentas de seus milhões de eleitores no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos