Supremo ordena mudança de ex-ditador panamenho a hospital para operar tumor

Panamá, 17 out (EFE).- A Suprema Corte de Justiça do Panamá ordenou a mudança do ex-ditador Manuel Antonio Noriega, que está preso, a um hospital para que seja operado de um tumor cerebral benigno, informaram fontes judiciais e da defesa do ex-general nesta segunda-feira.

Ainda não foi definida a data da mudança de Noriega, de 82 anos, ao Hospital Santo Tomás, na capital, segundo o advogado de defesa, Ezra Ángel.

Noriega seria submetido em julho a esse procedimento, que foi suspenso porque a defesa argumentou que não havia sido cumprido um protocolo pré-operatório e nem tinha se estabelecido um pós-operatório adequado às condições do paciente, que sofre de uma série de complicações de saúde associadas à idade avançada.

O Supremo panamenho informou nesta segunda-feira que ordenou à diretoria da prisão onde Noriega está recluso desde 2011 que "coordene" com o Hospital Santo Tomás "o necessário para o ingresso" e com a polícia nacional "para a mudança e custódia" do ex-general.

O advogado de defesa comunicou à Agência Efe que nesta tarde foi informado pelo Órgão Judicial sobre a medida de mudança para o hospital, "mas nesses termos, que teria que fazer uma coordenação prévia".

O Supremo indicou que "apesar de a defesa" do ex-ditador "solicitar a prisão domiciliar, este Tribunal considerou colocá-lo em um centro hospitalar, a fim de garantir seus cuidados especiais por seu estado de saúde, sem descuidar da vigilância e da proteção necessária".

Uma vez que Noriega "seja operado e se recupere segundo os médicos, este deve reingressar" à prisão, indicou o Segundo Tribunal de Justiça da Corte Suprema do Panamá.

A resolução judicial, com data de 26 de setembro passado, ordena que Noriega permaneça no hospital "pelo tempo estritamente requerido, de acordo com seu estado de saúde e o indicado por seus médicos, por razão dos cuidados pré e pós-operatórios do procedimento neurocirúrgico, o que será verificado pelo Instituto Médico Legal e Ciências Legistas".

"A decisão do Tribunal foi fundamentada em um relatório médico do Instituto Médico Legal e Ciências Legistas" segundo o qual o ex-general "padece de doenças crônicas", de acordo com a informação oficial.

Os magistrados também avaliaram uma "avaliação médico legal no recinto carcerário" onde está Noriega, que determinou "que a cela não apresenta as condições adequadas nem cumpre com as recomendações" dos médicos para as etapas pré e pós-operatórias.

A duração dos períodos pré e pós-operatórios "deve ser determinada por seus médicos uma vez que se decida a data da cirurgia", acrescentou a fonte judicial.

Noriega apresenta um quadro de saúde complicado, com doenças próprias de um homem de avançada idade que incluem problemas urológicos e neurológicos derivados de um acidente vascular cerebral, e a cada dois meses é submetido a revisões médicas.

A saúde do ex-ditador é a base dos vários pedidos da defesa para que Noriega saia da prisão e cumpra em casa as penas de 60 anos, por casos que vão desde homicídio até crimes ambientais impostos pela Justiça do Panamá.

Noriega, que governou entre 1983 e 1989, chegou ao Panamá em dezembro de 2011 após cumprir 21 anos de prisão nos Estados Unidos e na França por crimes de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Um relatório do Instituto Médico Legal panamenho revelou no final de maio que Noriega não está capacitado para continuar com o julgamento pela morte do sindicalista Heliodoro Portugal na década de 1970, entre outras causas, devido à deterioração neurológica causada pelo tumor cerebral benigno.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos