EI recrutou 30 mil combatentes pela internet, afirma governo espanhol

León (Espanha), 18 out (EFE).- O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) conseguiu recrutar mais de 30 mil combatentes estrangeiros através das redes sociais para lutarem na Síria e no Iraque, afirmou nesta terça-feira o secretário de Estado de Segurança da Espanha, Francisco Martínez.

Martínez participou hoje do 10º Encontro Internacional de Segurança da Informação na cidade de León, no norte da Espanha, no qual participam especialistas de todo o mundo e onde se analisam as últimas novidades em segurança cibernética.

Durante o seu pronunciamento, o secretário de Estado destacou que o surgimento do 'Daesh' (acrônimo em árabe para Estado Islâmico) representou um "enorme salto qualitativo e quantitativo para o ciberterrorismo".

O alto funcionário espanhol advertiu que as redes sociais são vitais para o EI e para o recrutamento de combatentes estrangeiros para os enfrentamentos na Síria e no Iraque.

Quanto ao crime cibernético, Martínez destacou que o mesmo "aumenta ano após ano", especialmente com ameaças que pairam sobre os dispositivos móveis, tanto no entrono privado como empresarial.

Sobre as medidas adotadas na Europa para combater esses crimes, o funcionário espanhol destacou a Diretiva NIS, aprovada pelo Parlamento Europeu em 6 de julho e que obriga a operadores e provedores de serviços essenciais a notificação de incidentes cibernéticos às respectivas autoridades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos