Bashar al Assad diz que seguirá atacando "terroristas" que estão em Aleppo

Genebra, 19 out (EFE).- O presidente da Síria, Bashar al Assad, garantiu em entrevista veiculada nesta quarta-feira que está determinado a continuar atacando Aleppo, com auxílio de tropas deslocadas pela Rússia, para eliminar rebeldes que estão na cidade.

"É nossa missão, de acordo com a lei e a Constituição. Temos que proteger o povo e nos livrarmos desses terroristas de Aleppo", afirmou o chefe de Estado à emissora suíça de televisão "SRF".

Assad se referiu na entrevista a todos os grupos rebeldes armados que lutam contra seu regime, não apenas os jihadistas da Frente al Nusra, que a ONU reconhece como organização terrorista, assim como o Estado Islâmico.

De acordo com o presidente, a ofensiva, que não faz distinção entre zonas residenciais do leste de Aleppo, controlada por rebeldes, e outras, disse que essa é a única forma de proteger os civis, que estão sendo assassinados pelos terroristas.

O líder sírio foi irônico ao questionar se a maneira com que o Ocidente pretende "proteger" as pessoas no país e "se sentando e olhando o que se passa".

"Temos que atacar os terroristas. Isso é evidente", garantiu Assad, que está há 16 anos no poder, desde quando sucedeu o pai.

A guerra civil na Síria, que explodiu em 2011 após a repressão de protestos populares para reivindicar liberdade e democratização do país, provocou cerca de 400 mil mortos, segundo cálculos da ONU, e forçou a migração de quase 12 milhões de sírios, entre deslocados internos e refugiados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos