Sem Putin, Rússia inaugura sua nova catedral ortodoxa em Paris

Paris, 19 out (EFE).- A Rússia inaugurou nesta quarta-feira sua nova catedral ortodoxa no coração de Paris, apesar da notória ausência de seu presidente, Vladimir Putin, que cancelou na semana passada sua viagem à capital francesa por tensões com o governo de François Hollande.

A monumental igreja é "testemunha da solidez das relações bilaterais franco-russas", afirmou, no entanto, durante o evento o ministro da Cultura da Rússia, Vladimir Medinski, que representava Putin.

A catedral, inserida dentro de um grande "centro espiritual e cultural ortodoxo russo", foi desenhada pelo arquiteto Jean-Michel Wilmotte e construída a poucos passos do Rio Sena e do Quai d'Orsay.

O espaço conta com 200 salas, escritórios da embaixada da Rússia e uma escola bilíngue com capacidade para 150 estudantes. O complexo ocupa uma área de mais de 4 mil metros quadrados entre a Torre Eiffel e o Hôtel des Invalides, onde antes ficava o Instituto de Meteorologia da França, avaliado em 170 milhões de euros e totalmente financiado pelo governo russo.

A cerimônia de inauguração contou com a presença da prefeita de Paris, Anne Hidalgo, do deputado de extrema direita Gilbert Collard e do secretário para as relações com o parlamento, Jean-Marie Le Guen.

Putin, que iria a Paris para participar da inauguração da catedral, decidiu cancelar sua viagem por diferenças surgidas com seu Hollande, relacionadas à guerra na Síria. As tensões começaram depois do veto por parte de Moscou a uma resolução promovida pela França no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para impulsionar um cessar-fogo na cidade síria de Aleppo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos