Tribunal indiano absolve 14 condenados à prisão perpétua por massacre de 2002

Nova Délhi, 20 out (EFE).- Um tribunal regional da Índia absolveu nesta quinta-feira 14 condenados à prisão perpétua pelo massacre de 33 muçulmanos durante uma explosão de violência em 2002, que deixou um saldo de quase mil mortos no estado ocidental de Gujarat.

O Tribunal Superior de Gujarat revogou as penas ditadas em 2011 contra 14 dos condenados e manteve as dos outros 17 condenados por queimar vivos vários muçulmanos na cidade de Sardarpura, informou a agência local "PTI".

Esse foi um dos muitos episódios de violência registrados no estado em 2002 contra a minoria muçulmana, à qual atribuíam o incêndio de um vagão de trem carregado de peregrinos hindus que causou 59 mortos.

Em 2011, o tribunal tinha absolvido outros 31 acusados pelo caso de Sardarpura.

O incidente aconteceu no dia 28 de fevereiro de 2002, quando uma multidão jogou gasolina e incendiou uma casa na qual estavam refugiados dezenas de muçulmanos.

Em junho passado, um tribunal especial de Gujarat condenou à prisão perpétua 11 acusados por outro dos episódios daquele ano, neste caso na cidade de Ahmedabad, onde uma multidão de 20 mil pessoas ateou fogo a várias casas no bairro e queimou vivas 69 pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos