Cartagena sedia Cúpula Ibero-Americana pela 2ª vez

Ricardo Maldonado Rozo.

Cartagena (Colômbia), 21 out (EFE).- A cidade de Cartagena de Indias, na Colômbia, sediará na próxima semana a XXV Cúpula Ibero-Americana de Chefes de Estado e de governo, uma experiência que já viveu em junho de 1994 como anfitriã da quarta edição.

Esta será a primeira cúpula ibero-americana com caráter bienal, pois estes encontros, que começaram em 1991, eram realizados anualmente até a edição de 2014, em Veracruz (México).

"A Heroica", como Cartagena é conhecida por causa das múltiplos defesas fez entre os séculos XVI e XVIII contra ataques de piratas e corsários, receberá entre nos próximos dias 28 e 29 os líderes dos 22 países da Comunidade Ibero-Americana, entre outras autoridades, como o próximo secretário-geral da ONU, António Guterres.

A XXV Cúpula tem como lema "Juventude, Empreendimento e Educação" e será precedida nos dias 27 e 28 pelo XI Encontro Empresarial Ibero-americano, do qual participarão cerca de 500 empresários europeus e latino-americanos.

Em 1994, na IV Cúpula Ibero-Americana, os chefes de Estado e de governo debateram em Cartagena sobre comércio, integração e desenvolvimento social, e desta vez darão ênfase ao futuro de um segmento importante de sua população.

"A Colômbia escolheu o tema Juventude, Empreendimento e Educação, porque esse é o futuro da região", disse recentemente em Cartagena a titular da Secretaria-Geral Ibero-Americana (Segib), Rebeca Grynspan.

Por sua vez, o prefeito de Cartagena, Manuel Vicente Duque, destacou em entrevista à Agência Efe a importância que um fórum como a comunidade ibero-americana tenha os jovens como foco.

"Temos que apostar hoje no tema da juventude. Queremos que os jovens se interessem pelo acontecer diário do mundo, que os jovens sejam incluídos. A cúpula será uma oportunidade muito bonita para que os líderes escutem o que verdadeiramente os jovens estão pensando e possam incluí-los em suas agendas", declarou.

A Marinha e a Polícia da Colômbia montaram um esquema de segurança que contará com 3.500 homens e inclui uma rigorosa vigilância de Cartagena por terra, mar e ar.

O esquema abrange toda a região amuralhada da cidade e especialmente o Centro de Convenções Julio César Turbay Ayala, sede do evento.

Com esta cúpula, Cartagena, cidade voltará a abrir suas portas à comunidade ibero-americana como o fez há 22 anos, quando teve como protagonista o então líder cubano Fidel Castro.

Foi em Cartagena que Fidel apareceu em público pela primeira vez sem seu tradicional uniforme verde oliva e usou uma 'guayabera', traje típico local para a foto oficial.

Outra personalidade presente àquela cúpula foi o Prêmio Nobel de Literatura de 1982, Gabriel García Márquez, que criticou seus colegas da imprensa nacional e estrangeira por lamentarem as restrições de acesso impostas pelos organizadores.

"Acredito que as deficiências são de vocês, que não sabem como podem obter informações sem estar ao lado dos líderes", disse o escritor aos demais repórteres em um episódio que marcou a edição. EFE

ric/id

(foto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos