May diz à UE que R.Unido controlará imigração e manterá livre-comércio

Bruxelas, 21 out (EFE).- A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta sexta-feira que transferiu aos líderes da União Europeia (UE) o objetivo do Reino Unido de impor seu próprio controle à imigração e manter o livre-comércio no mercado único, uma vez que se materialize o "Brexit".

"Sim, o Reino Unido será um país soberano totalmente independente, livre para tomar suas próprias decisões em uma ampla categoria de assuntos, tais como elegemos controlar a imigração, mas ainda queremos comercializar livremente bens e serviços com a Europa", afirmou May em entrevista coletiva ao término do primeiro Conselho Europeu.

May destacou que, embora Londres ainda não tenha começado "formalmente as negociações do 'Brexit', na cúpula deixei claro que meu objetivo é que o Reino Unido siga sendo um parceiro próximo da UE uma vez que tenha deixado o bloco".

Londres insistiu desde o referendo de 23 de junho, no qual uma maioria de britânicos pediu a saída da UE, rejeitar a livre circulação de trabalhadores comunitários, mas manter o acesso ao mercado único.

"Reconheço a magnitude do desafio que temos pela frente, tenho certeza de que haverá momentos difíceis", admitiu May, que no entanto acredita que seja possível superar os obstáculos com um "espírito construtivo" para conseguir uma "saída suave".

May, que realizou ao término do Conselho Europeu um almoço de trabalho com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, garantiu que deixou "claro que o Reino Unido seguirá tendo um papel completo e ativo dentro da UE até sua saída", e que seguirá sendo um país de confiança e "entusiasta em cooperar" com seus vizinhos europeus.

"O Reino Unido deixa a UE, mas não estamos deixando a Europa, não daremos as costas a nossos amigos e aliados", afirmou a primeira-ministra britânica,.

Perguntada pela situação com o tratado de livre-comércio negociado pela UE com o Canadá (ZETA), sobre o qual a região belga de Valônia mantém ainda um veto, May assegurou que o Reino Unido "seguirá defendendo o livre-comércio como fez até agora".

"O parlamento segue estudando o assunto, seguem as discussões e as negociações. É importante que assinemos este acordo com o Canadá", comentou.

Em todo caso, precisou que o Reino Unido "não procura replicar o modelo (de acordo comercial) de outro país", em referência à futura relação de Londres com a União uma vez executado o "Brexit".

"Teremos uma nova relação com a UE diferente da que temos como membro", concluiu May.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos