Rússia acusa Ocidente de distorcer realidade e de ajudar terroristas

Genebra, 21 out (EFE).- A Rússia acusou nesta sexta-feira o Ocidente de "distorcer a realidade" do que ocorre na Síria e especialmente na cidade de Aleppo e disse que o mesmo é culpado pelo financiamento terrorista ao invés de evitar que os jihadistas que fogem do Iraque entrem em território sírio.

"Ao invés de estarmos concentrados em evitar que milhares de militantes do Estado Islâmico saiam de Mossul e entrem na Síria, organizam uma sessão como esta", afirmou Alexey Borodavkin, embaixador da Rússia perante a ONU em Genebra, durante o Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Este órgão realiza hoje uma sessão especial sobre o assédio à cidade de Aleppo, que sofreu uma potente ofensiva militar por parte do regime sírio e da força aérea russa que bombardeou sem cessar a parte oriental da cidade, controlada por forças da oposição.

A ofensiva deixou mais de 500 mortos, mais de mil feridos e deteriorou a precária situação da população, que não recebe assistência humanitária há dois meses.

Borodavkin se referiu à "pausa humanitária" anunciada por seu governo que, segundo disse "tem por objetivo separar a população civil dos terroristas" e deixar entrar os comboios humanitários da ONU.

Mas as Nações Unidas deixaram claro -tanto por parte do enviado especial para a Síria, Staffan de Mistura, como do secretário- geral, Ban Ki-moon- que as pausas parciais e unilaterais não servem, e que além disso esta cessação de hostilidades não se ajusta ao solicitado pela ONU.

"Ao invés de ajudar a lutar contra os terroristas, (Ocidente) realiza uma guerra de informação para justificar os jihadistas e distorcer a realidade", concluiu o embaixador.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos