Cerca de 200 menores foram levados em uma semana de Calais para o Reino Unido

Calais (França), 23 out (EFE).- Um total de 194 menores não acompanhados foram transferidos na última semana ao Reino Unido desde o acampamento de imigrantes conhecido como Selva de Calais (norte da França), que vai ser desmantelado a partir da segunda-feira, informou neste domingo a ONG France Terre d'Asile.

Deles, 141 se beneficiaram da reunificação familiar e 53 meninas foram levadas para o país pela condição de vulnerabilidade, apesar de não contar com parentes.

A legislação que possibilita que sejam transferidos ao Reino Unido menores refugiados não acompanhados de adultos, mas que são considerados particularmente vulneráveis, foi aprovada por causa dos esforços efetuados em abril pelo trabalhista britânico Lorde Dubs.

A organização Human Rights Watch lembrou no sábado que, segundo estimativas policiais, vivem neste acampamento cerca de 900 menores não acompanhados, apesar de algumas ONG elevarem esse número a entre 1.300 e 1.600.

Deles, cerca de 400 têm direito a atravessar legalmente ao Reino Unido pelos parentes que têm em solo britânico, mas o resto, de acordo com associações humanitárias, se encontram em uma situação de extrema vulnerabilidade se não for oferecido um plano de amparo rápido e seguro antes do desmantelamento.

A evacuação da Selva, na qual vivem mais de 6,4 mil pessoas, começará na segunda-feira às 8h local (4h, em Brasília) e se prolongará ao longo da semana.

Representantes dos diversos serviços estatais envolvidos na evacuação começaram hoje oficialmente a informar a esse coletivo sobre o desenvolvimento da operação, para a qual foram mobilizados mais de 1.250 policiais e gendarmes.

Os litigantes de asilo que se encontram no centro temporário aberto em Calais pelas autoridades receberam as instruções para serem realocados.

"É um sonho para mim ficar na França", garantiu um deles após escutar dos voluntários que o indicava as instruções a seguir.

Menos favoráveis à mudança são os imigrantes que se encontram no acampamento improvisado, conhecido como "a Selva", onde ontem à noite ocorreram enfrentamentos com as forças da ordem que se repetiram ao longo da manhã.

Na emissora "Europe 1", o ministro francês de Urbanismo, Patrick Kanner, solicitou hoje às cidades dos centros de amparo e orientação nos quais vão ser redistribuídos seus habitantes respeito e humanidade com essas pessoas.

Kanner advertiu, além disso, a militantes de organizações como "No Border" e "Provocadores da extrema esquerda" que o Estado não permitirá protestos que obstaculizem o avanço da operação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos