Obama irá à Grécia, Alemanha e Peru em possível última viagem como presidente

Washington, 25 out (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visitará Grécia, Alemanha e Peru em novembro, sua possível última viagem ao exterior no cargo, para falar sobre a crise dos refugiados, a situação na Síria e na Ucrânia, além de reforçar os laços com países do litoral do Pacífico.

Obama visitará à Grécia entre 15 e 16 de novembro, a Alemanha nos dois dias seguintes. Por fim, Obama chegará a Lima no dia 18, onde participará do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apec), informou o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, em nota.

A visita de Obama ao Peru será a primeira do presidente ao país, e já estava praticamente confirmada devido à presença do líder nas cúpulas anteriores da Apec, que será organizada em Lima em 2016.

Obama se reunirá com o presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, para "afirmar e revisar os avanços na agenda bilateral dedicada a apoiar um crescimento liderado pelo setor privado mediante políticas econômicas inclusivas e sustentáveis em termos ambientais".

Segundo a Casa Branca, eles também conversarão sobre o trabalho de impulso à democracia, direitos humanos e sobre como melhorar os laços entre ambos os países.

Na cúpula do Apec, além disso, Obama se reunirá com os líderes dos países-membros do Parceria Transpacífica (TPP), entre eles, Chile, México, Peru, Brunei, Nova Zelândia, Austrália, Cingapura, Canadá, Japão, Malásia e Vietnã.

A entrada em vigor do TPP, assinado em fevereiro pelos 12 países, depende da ratificação em cada um deles, um fato que ainda não é certeza nos EUA devido à oposição dos dois candidatos à presidência, Hillary Clinton e Donald Trump, ao acordo.

Obama espera que o Congresso ratifique o pacto durante os dois meses que transcorrerão entre as eleições de 8 de novembro e a posse do próximo presidente, em 20 de janeiro de 2017.

"O presidente focará em seus esforços de convencer o Congresso e o povo americano que é preciso aprovar o TPP, sem atrasá-lo mais. Enfatizará nosso apoio aos altos padrões do acordo", disse Earnest.

Durante a cúpula, Obama também destacará o "apoio dos EUA às instituições regionais da Ásia e do Pacífico, além dos esforços para a integração econômica regional mediante a liberalização do comércio e os investimentos", indicou o porta-voz.

A primeira parada da viagem será a Grécia, país que não tinha sido visitado por Obama desde que ele assumiu o cargo. Ele se reunirá com o presidente do país, Prokopis Pavlopoulos, e com o primeiro-ministro Alexis Tsipras.

Segundo a Casa Branca, Obama reafirmará o apoio dos EUA aos esforços para recolocar a economia grega em um caminho de sustentabilidade e prosperidade renovada. Além disso, o presidente "agradecerá a notável generosidade do governo e do povo grego com os refugiados que chegaram ao país nos últimos 18 meses".

"No lugar em que nasceu a democracia, o presidente também reafirmará a resistência dos valores democráticos que fizeram tanto para estabelecer a paz e a prosperidade na Europa e no resto do mundo", completou Earnest.

Na Alemanha, Obama terá um encontro com a chanceler Angela Merkel para "revisar a cooperação" em vários temas, entre eles os "esforços comuns para resolver os conflitos na Ucrânia e na Síria, a campanha contra o Estado Islâmico (EI) e as relações econômicas".

Essa será a sexta visita de Obama como presidente à Alemanha. Na viagem, ele também se reunirá com os líderes de França, Itália e Reino Unido para revisar "assuntos globais".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos