Morte de ex-assessor de Putin em Washington foi acidente, diz EUA

Washington, 28 out (EFE).- A morte misteriosa em um hotel de Washington, nos Estados Unidos, do criador da máquina de propaganda do Kremlin, Mikhail Lesin, foi consequência de uma intoxicação por álcool, de acordo com a investigação que foi divulgada nesta sexta-feira pelo Departamento americano de Justiça.

A morte de Lesin, aos 57 anos, no dia 4 de novembro de 2015, em um hotel de Washington, alimentou todos os tipos de especulações, especialmente depois que a investigação preliminar identificou a causa em lesões provocadas por golpes contundentes na cabeça, pescoço, tronco e extremidades.

Lesin foi ministro das Comunicações da Rússia entre os anos de 1999 a 2004 e um colaborador muito próximo do atual presidente, Vladimir Putin, até que aceitou, no ano passado, em 2015 colaborar com os órgãos de segurança dos EUA contra seu antigo chefe.

No entanto, a investigação divulgada agora silenciou os rumores que apontavam para o Kremlin, ao concluir que os golpes que provocaram a morte de Lesin foram resultado de quedas provocadas por intoxicação por álcool, devido a "dias de consumo excessivo de álcool".

O ex-colaborador de Putin morreu "sozinho em seu quarto", afirmou a investigação, conduzida pela polícia de Washington e a Promotoria dos EUA no Distrito de Columbia em parceria com o FBI examinou todos os filmes de segurança do hotel.

Após concluir que a morte foi "acidental", as autoridades americanas encerraram a investigação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos