Afegã da National Geographic pede liberdade mediante fiança no Paquistão

Islamabad, 1 nov (EFE).- Sharbat Gula, a mulher afegã que ficou famosa por uma foto de capa da National Geographic há 35 anos, pediu nesta terça-feira liberdade mediante pagamento de fiança perante um tribunal após sua detenção no Paquistão por suposta posse ilegal de um documento de identidade.

"Pedimos a liberdade condicional de Gula, mas a audiência foi adiada até amanhã", indicou à Agência Efe Mohsin Dawar, um dos três advogados contratados pelo governo afegão para a defesa da refugiada.

O advogado afirmou que não tem certeza de se o tribunal irá conceder a liberdade à mulher de 46 anos, transformada em um ícone pelo fotógrafo americano Steve McCurry, que a imortalizou em 1985 quando tinha 12 anos em um campo de refugiados na cidade paquistanesa de Peshawar (noroeste).

O juiz Farah Jamshed adiou até amanhã a audiência para estudar os documentos apresentados pela acusação e a defesa.

A acusação afirmou que Gula confessou ter subornado três funcionários paquistaneses para obter um documento de identidade desse país, uma versão rejeitada pela defesa.

Gula foi detida em 26 de outubro por supostamente obter documentos de identidade paquistaneses para ela e dois de seus filhos após subornar três funcionários, e enfrenta uma pena de 14 anos de prisão.

Dois dias após sua detenção, um tribunal decidiu manter a afegã em custódia judicial por mais 14 dias.

O embaixador do Afeganistão em Islamabad, Omar Zakhilwal, pediu então às autoridades paquistanesas a libertação da mulher devido ao dano que sua detenção faz para as relações entre as pessoas dos dois países e a fraqueza, na sua opinião, do caso contra ela.

Segundo o diplomata, o documento de identidade paquistanês de Gula não foi obtido ilicitamente como afirma a Polícia, mas foi emitido legalmente pelas autoridades, igual ao de outros 500 mil afegãos no país.

Como resposta, o chefe da diplomacia paquistanesa, Sartaj Aziz, disse à Agência Efe que seu governo "trabalharia" para libertá-la, enquanto o ministro do Interior, Nisar Ali Khan, indicou que tinha pedido à Agência de Investigação Federal que a deixassem em liberdade condicional.

Gula estava tentando vender sua casa no Paquistão para voltar ao Afeganistão perante a pressão de Islamabad para que os cerca de três milhões de refugiados afegãos deixem o país.

Após ser revelada a detenção da chamada "Mona Lisa do Afeganistão", McCurry se comprometeu a "fazer tudo o que puder para ajudá-la legal e financeiramente".

O rosto de Gula envolvido em um lenço vermelho e seus poderosos olhos verdes transformaram a imagem da menina em um ícone da fotografia contemporânea.

McCurry voltou a fotografar a Gula 17 anos mais tarde no Afeganistão e descobriu que a mulher, que então tinha 30 anos, desconhecia sua fama internacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos