Enfrentamentos étnicos deixam ao menos 18 mortos e 40 feridos no Níger

Niamey, 2 nov (EFE).- Pelo menos 18 pessoas morreram na terça-feira e outras 40 ficaram feridas como consequência de violentos enfrentamentos étnicos entre criadores de gado e agricultores na região de Tahoua, na região central do Níger.

O Ministério do Interior do Níger informou nesta quarta-feira através da rádio governamental que dezenas de casas foram incendiadas nesses confrontos que explodiram ontem na cidade de Bangui, na região de Tahoua, que fica 520 quilômetros ao norte da capital Niamey.

O ministério acrescentou que mais de 30 pessoas suspeitas de envolvimento nesses enfrentamentos foram detidas pelas autoridades.

O confronto começou ontem após uma confusão entre um pastor, pertencente à etnia nômade peulh, que introduziu seu gado em um campo na cidade de Bangui, que pertence a um grupo de agricultores da etnia haoussa.

Como reação à ação do pastor, os moradores de Bangui atacaram os campos do outro povoado de criadores de gado, causando a morte de pelo menos 18 pessoas, e também incendiaram 23 casas.

Os enfrentamentos entre as etnias peulh e haoussa, todos de credo muçulmano, são frequentes nas zonas rurais e ocorrem geralmente quando os agricultores se dispõem a colher o que cultivaram, e pelos movimentos dos criadores de gado de norte a sul do país em busca de pastagens.

A última briga entre os agricultores e criadores de gado que causou um número considerável de vítimas aconteceu em 2009, na cidade de Ouallam, no noroeste do país, que resultou na morte de aproximadamente 20 pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos