Governador de Porto Rico lamenta assassinato de crianças brasileiras pelo pai

Porto Rico, 2 nov (EFE).- O governador de Porto Rico, Alejandro García Padilla, classificou nesta quarta-feira como uma "tragédia" o assassinato de três crianças brasileiras pelo próprio pai - que depois se suicidou - na casa em que viviam em Ponce, a principal cidade do sul da ilha.

A porta-voz da polícia local, Luz Morel, disse à Agência Efe que os corpos das crianças foram encontrados em suas camas com sinais de asfixia e que o do pai estava atrás da residência, onde ele se enforcou.

A polícia identificou o pai como Erick R. Seguinot Ramírez, um cidadão americano de 50 anos, que estaria cuidando dos filhos - duas meninas e uma menino com idades de 5 a 9 anos - enquanto a mãe, brasileira de Santa Catarina, assim como os filhos, havia viajado aos Estados Unidos para fazer um curso.

Supostamente, ela já havia sido vítima de violência doméstica por parte de Seguinot.

"O instinto que nós pais temos é o de defender, proteger, cuidar. Portanto, não posso fazer mais do que orar pelo descanso de sua alma, pela tranquilidade da família", disse o governador.

"Sou pai de três filhos e não posso imaginar o que pode passar pela mente de um pai em uma circunstância como essa", acrescentou. EFE

co/id

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos