"The Economist" pede voto para Hillary Clinton

Londres, 3 nov (EFE).- A publicação britânica "The Economist" respaldou nesta quinta-feira a candidatura de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos, advertiu sobre os riscos de um governo com Donald Trump e garantiu que a antiga secretária de Estado é a "melhor opção".

Hillary é "melhor candidata do que parece e está muito melhor capacitada para lidar com as políticas de Washington", afirma a revista em sua última edição.

Sob o título "A melhor solução para os Estados Unidos", a publicação, que tem pouco mais de 1,5 milhão de leitores no Reino Unido, indicou que a decisão de respaldar Hillary "não é difícil dada a alternativa existente".

"A eleição não é complicada. Durante a campanha vimos diariamente claros indícios de que o senhor Trump seria um presidente horroroso", publicou o "The Economist", ao mesmo tempo que afirmou que o empresário "fez explodir as tensões raciais nos Estados Unidos".

A "experiência, temperamento e caráter" de Trump o transformam em alguém "totalmente inadequado para ser o chefe do Estado que o mundo democrático usa como exemplo, o líder das forças armadas mais poderosas do mundo e a pessoa que controla o arsenal nuclear americano", disse a publicação.

O "The Economist" advertiu que as políticas que pretende introduzir Trump "vão de acordo com sua personalidade: um governo de Trump baixaria os impostos dos ricos e imporia um protecionismo que aumentaria os preços para os mais pobres", afirmou.

"Portanto nosso voto vai para Hillary Clinton. Aqueles que a rejeitam por ser uma Clinton (...) não se dão conta da baixeza da alternativa existente", sustentou a aclamada publicação britânica. EFE

jp/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos