Minorias religiosas protestam contra ataques a hindus em Bangladesh

Daca, 4 nov (EFE).- Centenas de fiéis de diferentes minorias religiosas se manifestaram nesta sexta-feira em Bangladesh contra uma série de ataques a hindus lançado na semana passada pela maioria muçulmana, enfurecida pela divulgação em redes sociais de uma montagem que consideram ofensiva ao Islã.

O Conselho para a Unidade Hindu, Budista e Cristiana organizou protestos por todo o país contra a violência sectária no distrito de Brahmanbaria, onde, aproximadamente, 200 templos, casas e lojas de hindus foram vandalizados nos últimos dias. O presidente da organização, Jayanta Kumar Sen, disse à Agência Efe que suas filiais em cada um dos 64 distritos do país foram hoje palco de atos de protesto, enquanto cerca de 500 estudantes hindus da Universidade de Daca se manifestaram pelas ruas da capital.

A explosão de violência começou no domingo passado, depois que circulou nas redes sociais uma montagem fotográfica que mostrava ao deus hindu Shiva na Caaba, a construção na Grande Mesquita de Meca que abriga uma pedra considerada um pedaço do paraíso pelos muçulmanos. Em um dos ataques mais recentes, em Brahmanbaria, um grupo não identificado de pessoas ateou fogo ontem à noite nas residências de cinco famílias hindus.

"Estava dormindo na minha casa quando perto das 3h (horário local, 18h em Brasília) vi que meu estábulo estava pegando fogo", explicou Phool Kishore Sarker, de 54 anos e pai de seis filhos.

Conforme relatou à Agência Efe, hoje de manhã descobriu que outras quatro casas da vizinhança também tinham sido incendiadas. Em nenhum dos casos houve vítimas.

Perante a situação, as forças de segurança enviaram reforços e abriram um acampamento temporário dentro do Batalhão de Ação Rápida, de acordo com o chefe da Administração local, Choudhury Muazzam Ahmed. Além disso, a Polícia deteve dez pessoas envolvidas com casos de violência no domingo.

Os manifestantes garantiram, no entanto, que continuarão com suas atividades até que todos os culpados sejam julgados.

"Estamos planejado realizar uma manifestação maior na próxima semana se não detiverem todos os autores", disse à Efe o líder hinduísta Kajol Joti Dutta.

Apesar de Bangladesh ter sofrido uma onda de atentados de linha islamita contra grupos minoritários entre 2015 e 2016, os casos de violência não são comuns no país. Os muçulmanos respondem por 90% dos 160 de milhões de habitantes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos