Ex-ministro belga depõe no caso de corrupção que envolve Sarkozy

Bruxelas, 5 nov (EFE).- O ex-presidente do Senado da Bélgica e ex-ministro Armand De Decker depôs neste sábado perante o Ministério da Justiça de seu país em favor do empresário belgo-cazaque Patokh Chodiev, vinculado a um possível caso de corrupção na venda de helicópteros franceses ao Cazaquistão em 2011.

Decker teria intercedido naquele ano perante a Justiça belga para obter uma melhora na situação judicial de Chodiev e teria feito isso em nome do governo francês, presidido então por Nicolas Sarkozy, de acordo com o jornal belga "Le Soir".

Em 2012, a Justiça francesa abriu uma investigação por um possível caso de comissões e corrupção na venda de 45 helicópteros militares franceses ao Afeganistão no qual duas pessoas do círculo de Sarkozy foram acusadas. Seu ex-conselheiro, Jean-François Etienne des Rosaies, recebeu sem razão justificada vários pagamentos grandes de sua advogada Catherine Degoul, aparentemente procedentes do empresário Patokh Chodiev, conhecido por sua proximidade com o presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbaiev.

Catherine era também a representante de uma sociedade no paraíso fiscal da Ilha de Man que pertencia a Chodiev, um elemento, segundo o jornal, que permitiu aos investigadores estabelecer um vínculo entre os movimentos financeiros suspeitos e os contratos para a venda dos helicópteros.

Conforme os documentos judiciais obtidos pelo "Le Soir" e pelo jornal francês "Mediapart", Armand De Decker visitou com Catherine, o então ministro da Justiça belga, Stefaan De Clerck, em sua própria casa em fevereiro de 2011. O objetivo era pedir que interviesse no caso do empresário belga, acusado pela Justiça do país de corrupção.

Alguns dias depois, Decker e Catherine foram ao Ministério, onde o político belga se apresentou como "advogado do Eliseu" e disse que sua intervenção "estava ligada a um acordo de matéria aeronáutica entre Cazaquistão e França", segundo os documentos citados pelo "Le Soir". Decker teria recebido 740 mil euros por 350 horas de serviço como advogado do Eliseu, prestações que, no entanto, não estão confirmadas por qualquer peça judicial, acrescenta o mesmo jornal.

Em março de 2011, o Senado belga aprovou em regime de urgência uma disposição que abriu a porta para que em junho a causa contra Chodiev e outros dois empresários próximos ao governo cazaque fosse arquivada graças a um acordo amistoso e ao pagamento de 23 milhões de euros. Em 27 de junho, o primeiro-ministro de Sarkozy, François Fillon, assinou o contrato para a venda dos helicópteros ao Cazaquistão.

O Movimento Reformista (MR) - o partido liberal francófono - ao qual Decker pertence pediu que o político, hoje membro da Prefeitura do distrito bruxelense de Uccle, compareça perante seu comitê de conciliação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos