Obama pede a eleitores que escolham Hillary para manter seus "princípios"

Miami, 6 nov (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu neste domingo aos eleitores da Flórida que votem na próxima terça-feira em Hillary Clinton e ampliem assim a sequência de vitórias democratas que ele iniciou em 2008, o que evitaria que o candidato republicano, Donald Trump, acabasse com seus "princípios".

Em um comício em Kissimmee, no centro do estado e onde não há padrão definido do votante, Obama disse aos presentes que já "provaram a força do voto" em 2012 e 2008, quando fizeram da Flórida uma região democrata, depois que apenas Bill Clinton, em 1996, conseguiu ganhar para seu partido desde 1976.

Embora ele (Obama) não esteja na cédula eleitoral, os "princípios que defende, sim, estarão".

Por isso, pediu a "ajuda" dos que votaram então, majoritariamente negros e latinos, para escolher agora pela "esperança", pela "pessoa provavelmente mais preparada da história para chegar à Presidência", Hillary.

"Jogaremos fora todo o progresso conseguido se não ganharmos estas eleições e ganharemos estas eleições se ganharmos na Flórida", disse Obama, que venceu na Flórida por 0,9 ponto de margem, graças ao apoio em massa de hispânicos e negros.

Uma pesquisa realizada pela emissora "CBS" entre os dias 2 e 4 de novembro aponta um empate entre Hillary e Trump na Flórida, onde os negros preferem a democrata por uma diferença de 85 pontos (91-6%), os hispânicos por 20 (54-34%) e os brancos preferem o empresário majoritariamente (56-33%).

No entanto, há preocupação na campanha de Hillary ao ver que os dados de votação adiantada e por correio mostram que os negros não estão votando em número similar a 2008 e 2012.

"Não deveria ser uma eleição apertada", disse Obama, lamentando que o "novo normal" possa ser a forma de agir e de se expressar de Trump, que, afirmou, é "totalmente incompetente" para ser presidente.

Por outro lado, disse para seus correligionários: "Vocês estão perfeitamente qualificados para votar em Hillary", considerando que a "escolha não poderia ser mais clara".

Segundo dados oficiais deste domingo na Flórida, 6,1 milhões de pessoas já exerceram seu direito ao voto por correio ou de forma antecipada. A diferença entre os registrados como democratas e republicanos é de apenas 32 mil pessoas para os primeiros (0,5 ponto percentual).

Essa diferença é menor do que a registrada em 2012 no voto antecipado, que era de 4 pontos, embora Obama tenha ganhado por apenas 0,9 ponto de Mitt Romney.

Trump não pode se permitir repetir esse resultado republicano, pois precisa ganhar obrigatoriamente na Flórida se quiser ter chances de ser presidente. Na atual situação, perder neste estado e na Carolina do Norte é dizer adeus a tal possibilidade.

Enquanto a região norte da Flórida é branca e republicana, e a sul é mais latina e democrata, o centro, aonde Trump voltou neste sábado, e que hoje Obama visitou, pode ser essencial.

Nesta região se registrou um notável aumento de cidadãos negros e latinos, especialmente porto-riquenhos que já passam dos 300 mil residentes e que podem votar nas eleições.

A eles se dirigiu quando disse, em espanhol, "Si se puede", o famoso slogan de sua campanha de 2008 e que foi cunhado em 1972 pelo líder hispânico César Chávez.

"Se você acredita na reforma migratória e que Porto Rico se recupera (de sua crise econômica e financeira), você tem que votar", pediu Obama, que não mencionou a decisão de hoje do FBI de não processar Hillary, após revisar novos e-mails no computador de uma de seus assistentes, em uma polêmica que causou prejuízo à candidata democrata.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos