Arábia Saudita deixa de fornecer petróleo ao Egito pelo 2º mês consecutivo

Cairo, 7 nov (EFE).- As autoridades do Egito confirmaram nesta segunda-feira que a companhia petrolífera estatal da Arábia Saudita, Aramco, deixou de fornecer o produto ao país pelo segundo mês consecutivo, no meio de uma crescente tensão entre os dois governos.

Segundo o porta-voz do Ministério de Petróleo do Egito, Hamdi Abdelaziz, citado pela agência oficial "Mena", o governo local não recebeu nenhum aviso da empresa saudita para justificar essa medida. Também não há informação sobre quanto tempo ela durará.

Por causa da interrupção do fornecimento, o Egito recorrerá ao mercado internacional para "responder às necessidades locais", acrescentou Abdelaziz.

O fornecimento de petróleo foi estabelecido em um acordo assinado em março entre os dois países. A Aramco abasteceria o Egito com 700 mil toneladas do produto mensalmente durante cinco anos.

O pacto foi violado pela empresa em outubro, dias depois do início de uma disputa entre Egito e Arábia Saudita sobre uma resolução do Conselho de Segurança da ONU em relação à Síria.

Os sauditas não gostaram de os egípcios terem votado a favor de uma resolução apresentada pela Rússia, aliada do presidente da Síria, Bashar al Assad. Oficialmente, porém, as autoridades dos dois países já afirmaram que irão tentar diminuir as tensões.

A Arábia Saudita foi um grande aliado do Egito desde 2013, quando os militares do país tomaram o poder da Irmandade Muçulmana. Na época, Riad auxiliou o Cairo com bilhões de dólares.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos