Poroshenko espera que Trump apoie Ucrânia em luta contra "agressão russa"

Kiev, 9 nov (EFE).- O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, afirmou nesta quarta-feira que espera que, após a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, o país siga ajudando os ucranianos na luta contra a "agressão russa".

Poroshenko disse que confia que os países seguirão cooperando na luta da Ucrânia contra a agressão do Kremlin e pela liberdade, independência e restabelecimento da soberania territorial.

Além de parabenizar o republicano pela vitória, o presidente da Ucrânia convidou Trump a visitar o país e defendeu a retomada dos trabalhos da comissão de cooperação estratégica com os EUA.

"A vitória de Trump é o símbolo de uma autêntica democracia na qual, até o último momento, não se sabe os resultados" diz a nota.

Poroshenko pediu em várias ocasiões que os EUA fornecessem armamento letal à Ucrânia para que o país pudesse se defender da agressão russa na região leste, mas o presidente Barack Obama sempre se negou a atender ao pedido do líder ucraniano.

Segundo os analistas, a Ucrânia apostava na vitória eleitoral de Hillary Clinton, sempre muito crítica à ingerência russa no país.

Durante um debate eleitoral, Trump afirmou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, tinha sido "mais inteligente" na Síria e na Ucrânia do que o governo de Obama, do qual Hillary foi secretária de Estado entre 2009 e 2013.

O chefe da campanha de Trump, Paul Manafort, teve que deixar o cargo em agosto após ter sido envolvido em um escândalo por ter recebido dinheiro de Partido das Regiões, um dos grupos pró-Rússia da Ucrânia, quando a legenda era liderada por Viktor Yanukovich, presidente do país deposto em 2014.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos