Duterte deixa Malásia entrar em águas filipinas para perseguir terroristas

Bangcoc, 10 nov (EFE).- O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, autorizou nesta quinta-feira a Malásia a perseguir terroristas e sequestradores em águas filipinas que fazem limite com o estado malaio de Sabah, no nordeste da ilha de Bornéu.

A medida surgiu durante a reunião que Duterte, que começou hoje uma visita de dois dias à Malásia, teve com o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, em Putrajaya.

Najib destacou que a medida "é vital" para acabar com os sequestros, depois que o grupo jihadista filipino Abu Sayyaf, aliado do Estado Islâmico (EI), sequestrou dez malaios este ano em Sabah em várias ações, segundo o jornal local "The Star".

"Aprecio a forma prática de Duterte de enfrentar esta ameaça", disse o governante malaio, acrescentando que os ministros da Defesa se reunirão para concretizar os detalhes e começar a agir o mais rápido possível.

A Indonésia, o terceiro país afetado pela onda de sequestros realizados pelo Abu Sayyaf, também participará das operações para desarmar a ameaça.

O último sequestro deste grupo foi de um alemão de 70 anos que navegava com sua mulher, da mesma nacionalidade, em um iate pelas águas de Sabah.

O Abu Sayyaf capturou o alemão, matou a mulher porque ela resistiu, e levou a embarcação e o refém para o sul das Filipinas, seu centro habitual de operações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos