Centenas de estudantes protestam por ataques contra hindus em Bangladesh

Daca, 11 nov (EFE).- Centenas de estudantes, em sua maioria hindus, se manifestaram nesta sexta-feira em Daca contra uma onda de ataques de muçulmanos contra a minoria hindu em Bangladesh pela divulgação de uma montagem fotográfica considerada ofensiva para o islã.

Os estudantes, cerca de 2 mil segundo os organizadores do protesto, bloquearam várias intersecções importantes perto da Universidade de Daca e queimaram uma efígie do ministro bengalês de Pesca, Sayedul Haque, que é acusado de instigar as massas contra a minoria hindu.

"Demandamos que o ministro renuncie imediatamente", afirmou à Agência Efe Manash Mandal, um dos estudantes que se manifestava, que pediu além disso às autoridades locais que deem explicações sobre os ataques contra os hindus.

O ministro, que negou as acusações, representa no parlamento a circunscrição de Nasirnagar, no distrito oriental de Brahmanbaria, onde explodiram os protestos no final de outubro por causa da publicação de uma montagem no Facebook.

A montagem fotográfica, que correu pelas redes sociais, mostrava o Deus hindu Shiva na "Caaba", uma construção na Grande Mesquita da cidade saudita de Meca que abriga uma pedra que o islã considera um pedaço do paraíso.

Desde que explodiu a polêmica cerca de 200 templos, casas e negócios pertencentes a hindus foram assaltados em toda Bangladesh.

Os protestos de hoje em Daca ocorrem depois que na semana passada o Conselho para a Unidade Hindu, Budista e Cristiana organizou manifestações por todo o país asiático contra a violência em direção à minoria hindu.

"Queremos que o governo seja contundente contra o vandalismo e detenha todos os causadores", ressaltou à Agência Efe Ashok Roy, outro estudantes que se jogou às ruas da capital bengalesa para protestar contra a violência sectária.

Por enquanto a polícia deteve 78 muçulmanos em relação aos ataques contra hindus, assim como o membro desta minoria que supostamente postou na Internet a montagem fotográfica com o Deus Shiva em Meca.

Segundo disse à Agência Efe um chefe de polícia em Brahmanbaria, Abu Jafar, as forças de segurança estão analisando gravações de vídeo para localizar outros culpados dos ataques.

Embora o país tenha sofrido entre 2015 e 2016 uma onda de atentados de corte islamita contra coletivos minoritários, os casos de violência comunal são muito pouco frequentes.

Os muçulmanos conformam 90% dos 160 de milhões de habitantes de Bangladesh.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos