Militares do Sudão do Sul fecham rádio financiada por entidade americana

Juba, 11 nov (EFE).- Guardas do Sudão do Sul fecharam nesta sexta-feira a emissora "Eye Radio", com sede na capital Juba e financiada por uma organização voltada à liberdade de imprensa nos Estados Unidos, sem aviso prévio e sem explicar os motivos.

Um jornalista da rádio, que pediu anonimato, contou à Agência Efe que três soldados da Segurança Nacional chegaram ao escritório e colocaram cadeados na porta do estúdio. Os militares saíram com as chaves e pediram para que os funcionários deixassem imediatamente o lugar, sem dar tempo nem mesmo de recolher objetos pessoais.

A direção da "Eye Radio" soltou um comunicado em seu site e em todas as redes sociais informando que está "indefinidamente" fora do ar por motivos "alheios" ao seu controle.

A "Eye Radio" é uma famosa rádio no Sudão do Sul e que boa parte da população a usou para conseguir informações durante o conflito. O projeto é financiado pela organização americana Internews, que trabalha no âmbito de apoio ao jornalismo e liberdade de expressão.

Desde o início do conflito no Sudão do Sul em dezembro de 2013, entre o presidente, Salva Kiir, e o ex-vice-presidente e líder rebelde, Riek Machar, são frequentes os casos de repressão da liberdade de imprensa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos