Regime sírio recupera todas as zonas de Aleppo arrebatadas em ataque rebelde

Cairo, 12 nov (EFE).- As forças do regime sírio conseguiram recuperar o controle de todas as zonas da cidade de Aleppo que tinham sido arrebatadas pelos rebeldes em duas semanas de ofensiva, informou neste sábado o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Tanto a ONG como a agência estatal "Sana" indicaram que as tropas governamentais e suas milícias aliadas retomaram Dahie al-Assad, os postos de controle de Al Surata e Al Sater, a zona de Menyan e uma fábrica de papelão, no sudoeste da cidade.

Uma fonte militar, citada pela "Sana", explicou que as unidades do Exército restabeleceram a "segurança" em Dahie al-Assad e avançaram também na zona de Al Makateb, causando "perdas aos terroristas" e destruindo parte de seus veículos e armamento.

Desta forma, o Exército ampliou "o círculo de segurança" em torno dos bairros ocidentais -em mãos das autoridades-, alvo nas últimas duas semanas de bombardeios com projéteis rebeldes, acrescentou a fonte.

Estas vitórias, somadas à recuperação há poucos dias da zona do Projeto 1070 e a área da escola Al Hekma, também no sudoeste, supõem o retorno do Exército aos mesmos limites que controlava antes do lançamento pelos rebeldes de sua ofensiva "Grande epopeia de Aleppo".

Esta operação insurgente, que começou em 28 de outubro, buscava romper o assédio aos distritos do leste de Aleppo, rodeados pelas forças armadas e em poder dos opositores.

Participaram da batalha várias brigadas opositoras, entre as quais destaca-se o Movimento dos Livres do Sham, assim como a Frente da Conquista do Levante (a antiga filial da Al Qaeda).

Segundo o Observatório, as forças do regime sírio também recuperaram durante seu contra-ataque zonas cujo domínio perderam em agosto passado, na periferia ocidental.

Estas duas semanas de combates e bombardeios aéreos e de artilharia deixaram pelo menos 454 pessoas mortoas, segundo a apuração divulgada hoje pelo Observatório.

Entre estes falecidos figuram 215 rebeldes, 143 soldados e milicianos pró-governo e 90 civis, dos quais 29 eram menores de idade.

Oito dos civis, três deles crianças, morreram ontem à noite em um bombardeio aéreo do regime sírio contra a cidade de Kafr Dael, na periferia ocidental de Aleppo, precisou o Observatório.

A cidade de Aleppo é disputada por forças de Damasco e os rebeldes desde meados de 2012, quando os insurgentes conquistaram amplas áreas da urbe, a segunda da Síria e uma das mais castigadas pelo conflito que se iniciou em março de 2011.

A situação é especialmente crítica nos bairros orientais, sitiados pelo regime desde julho, onde a ONU alertou esta semana que já não restam mais alimentos para entregar aos civis necessitados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos