Empersários sul-coreanos declaram no caso "Choi Soon-sil Gate"

Seul, 13 nov (EFE).- Vários empresários das principais firmas sul-coreanas, incluindo o presidente da Hyundai e o vice-presidente da Samsung Electronics, foram ou serão chamados a declarar sobre o possível vínculo entre doações e o escândalo de suposta corrupção e tráfico de influência chamado de "Choi Soon-sil Gate".

O presidente da Hyundai, Chung Mong-Koo, e os dos grupos SK e Hanwha foram interrogados entre sábado e a manhã de hoje pelos promotores do Distrito Central de Seul sobre as doações a duas associações controladas por uma amiga próxima à presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, envolvida no escândalo político, segundo fontes da Promotoria à agência local "Yonhap".

Centenas de milhares de pessoas se manifestaram no sábado no centro de Seul para pedir novamente a renúncia da chefe de Estado, cujos índices de aprovação se encontram abaixo dos mínimos.

Os promotores sul-coreanos, que começaram tomando declaração do presidente da Posco, a maior siderúrgica do país, segundo anunciaram no véspera, planejam chamar para declarar em breve o vice-presidente da Samsung Electronics, Lee Jae-yong, o presidente do grupo Lotte, Shin Dong-bin, e o do grupo CJ.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos