Boris Johnson pede que União Europeia "não prejulgar" Trump

Bruxelas, 14 nov (EFE).- O ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, pediu nesta segunda-feira para que a União Europeia (UE) não "prejulgue" o próximo presidente americano, o republicano Donald Trump, e considerou que sua chegada ao poder pode significar uma "oportunidade".

"Eu acho que é muito positivo e importante não prejulgar o presidente eleito ou sua Administração", disse Johnson, ao chegar ao Conselho de Ministros das Relações Exteriores da UE.

Segundo o chefe da diplomacia britânica, "só se passaram alguns dias" desde que Trump se elegeu e é preciso "esperar para ver o que ele propõe".

"Temos que enxerga-lo como um momento de oportunidade", enfatizou.

O Conselho de Ministros de hoje foi precedido por um jantar informal ontem à noite convocado pela alta representante da UE para a Política Externa, Federica Mogherini, para abordar os próximos passos do grupo após a vitória de Trump, uma reunião que Johnson decidiu não comparecer.

Para o ministro, "uma grande mudança está acontecendo no mundo" e pessoas que, até agora, achavam que "não estavam sendo ouvidas, nem representadas, adequadamente estão começando a fazer com que suas vozes sejam ouvidas".

Para Johnson, Trump é "um negociador", o que "pode ser bom para o Reino Unido, mas também para a Europa".

"Acho que é nisso que temos que nos centrar hoje", concluiu.

Após o jantar de ontem, Federica destacou que os 27 países-membros se mantêm "unidos" no que diz respeito à "necessidade de continuar trabalhando na força das relações transatlânticas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos