Presidente sul-coreana vai depor por conta do escândalo de corrupção

Seul, 15 nov (EFE).- A presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, irá depor perante a acusação de um caso de corrupção e tráfico de influência, que vem provocando uma forte comoção no país e levou milhares de pessoas às ruas para pedir sua renúncia.

Park nomeou nesta terça-feira o advogado Yoo Yeong-ha, ex-membro do comitê permanente da Comissão Nacional de Direitos Humanos, como seu representante legal para enfrentar o interrogatório dos promotores que previsivelmente acontecerá nesta semana, disse à Agência Efe um porta-voz da Casa Azul.

O advogado da presidente "irá coordenar com os promotores para concordar o dia e a hora" do interrogatório, explicou o porta-voz. Por sua parte, veículos de imprensa locais afirmaram que a acusação planeja chamar Park Geun-hye para depor na quarta-feira, mas essa informação não foi confirmada oficialmente.

Se finalmente a mandatária comparecer, seria o primeiro interrogatório destas características de um presidente na história democrática da Coreia do Sul.

A Promotoria já tinha chamado para prestar depoimento nas últimas semanas diversos ex-funcionários da Casa Azul, sede da presidência, diretores de importantes empresas sul-coreanas, além da mulher de 60 anos, que ao lado da presidente está no centro do escândalo, sua íntima amiga Choi Soon-sil, que esta presa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos