Turquia suspende mais de 2 mil policiais por suspeita de vínculos golpistas

Istambul, 16 nov (EFE).- O governo turco suspendeu 2.205 policiais por supostos vínculos com a confraria do clérigo exilado Fethullah Gülen, que é acusado de estar por trás do golpe de estado de 15 de julho, informa nesta quarta-feira o jornal turco "Cumhuriyet".

Na mesma operação, as autoridades readmitiram 3.181 policiais que tinham sido suspensos por supostos vínculos golpistas, e que Ancara considerava uma possível ameaça para a segurança nacional.

Desde 15 de julho, mais de 13 mil policiais foram suspensos pela direção de Segurança, dos quais 2,5 mil eram oficiais de alta categoria, enquanto 127 mil funcionários foram demitidos ou afastados temporariamente do serviço.

As autoridades turcas detiveram, além disso, cerca 50 mil pessoas, das quais 32 mil passaram a prisão preventiva, muitas delas policiais, militares, juízes, professores, jornalistas e funcionários, acusadas de estar vinculadas ao que o governo chama de Organização Terrorista Fethullah Gülen (FETÖ).

A confraria de Gülen é uma rede de simpatizantes do predicador, que até 2013 ocupava perfis fundamentais na judiciário e administração turca com o respaldo do governo turco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos