Trump nomeia senador como procurador-geral e membro do Tea Party para a CIA

Nova York, 18 nov (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou nesta sexta-feira a nomeação do senador Jeff Sessions como novo procurador-geral do país, do congressista Mike Pompeo como diretor da CIA e do general reformado Michael Flynn como assessor de segurança nacional.

Em comunicado divulgado hoje, o republicano anunciou os três nomes, que já tinham sido antecipados nas últimas horas por vários veículos da imprensa americana.

Nova York, 18 nov (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou nesta sexta-feira a nomeação do senador Jeff Sessions como novo procurador-geral do país, do congressista Mike Pompeo como diretor da CIA e do general reformado Michael Flynn como assessor de segurança nacional.

Em comunicado divulgado hoje, o republicano anunciou os três nomes, que já tinham sido antecipados nas últimas horas por vários veículos da imprensa americana.

Trump destacou a experiência de Sessions no Senado e no campo da Justiça, sublinhando que o senador é "muito admirado por especialistas legais e por praticamente qualquer um que o conhece".

Sessions, um veterano senador que faz parte do Comitê de Justiça do Senado, é um ferrenho opositor à reforma migratória e a nomeação promete gerar polêmica. Em 1986, o então presidente do país, Ronald Reagan, o escolheu como juiz de um tribunal federal, mas ele não foi confirmado no cargo por ter feito comentários racistas no passado.

O senador era um dos assessores da campanha presidencial de Trump e trabalhou na equipe de transição que está escolhendo os nomes que acompanharão o empresário na Casa Branca a partir de janeiro.

"Meus 15 anos anteriores trabalhando no Departamento de Justiça foram extraordinariamente satisfatórios. Adoro o Departamento, as pessoas, o trabalho. Não posso pensar em uma honra maior do que liderá-los", afirmou o senador em comunicado após a nomeação.

Session disse que adotou com entusiasmo a visão de Trump sobre o país e o "compromisso" do empresário com uma Justiça imparcial.

Já para comandar a CIA, Trump escolheu Mike Pompeo, congressista pelo Kansas e membro do movimento ultraconservador Tea Party. "Ele serviu nosso país com honra e passou uma vida lutando pela segurança de nossos cidadãos", disse o presidente eleito.

Pompeo se disse "honrado com a oportunidade de servir e trabalhar junto ao presidente eleito Donald Trump para manter os EUA seguros". "Quero trabalhar com os guerreiros da inteligência dos EUA, que tanto fazem para proteger os americanos a cada dia", destacou.

General reformado e ex-oficial de Inteligência, Michael Flynn foi o principal assessor de segurança nacional de Trump durante a campanha e ocupará o mesmo cargo na Casa Branca.

Segundo o presidente eleito, Flynn é "um dos principais analistas do país em assuntos militares e de inteligência, sendo um ativo inestimável para o governo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos