EUA condenam ataques a hospitais e pessoal humanitário na Síria

Washington, 19 nov (EFE).- Os Estados Unidos condenaram neste sábado os ataques a hospitais e pessoal humanitário na Síria cometidos por "forças leais" ao regime de Bashar al Assad, enquanto pediu novamente à Rússia que "reduzisse a violência imediatamente".

"Estamos a par das informações de organizações internacionais de ajuda de que todos os hospitais no leste de Aleppo, assim como alguns postos de emergência, foram destruídos em ataques das forças leais ao regime de Assad, o que foi possível graças a seu apoio mais forte, Rússia", disse em um comunicado a assessora de Segurança Nacional dos EUA, Susan Rice.

"O regime sírio e seus aliados, a Rússia em particular, são responsáveis pelas consequências imediatas e de longo prazo que estas ações causaram na Síria e além", acrescentou o governo americano na nota.

Os EUA pediram mais uma vez "a interrupção imediata desses bombardeios" e que a Rússia "reduzisse a violência e facilitasse o acesso do povo sírio à ajuda humanitária".

Quatro hospitais do leste de Aleppo, entre eles o único centro pediátrico da região, ficaram fora de serviço nas últimas 24 horas pelos danos causados pelos bombardeios do regime, que mantém totalmente cercada esta área controlada pelos rebeldes.

O diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdul Rahman, afirmou em conversa telefônica com a Agência Efe que "ainda há hospitais no leste de Aleppo que continuam abertos, apesar de quatro deles terem ficado fora de serviço".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos