Trump e Romney discutem política externa em encontro cheio de expectativas

Nova York, 19 nov (EFE).- O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e Mitt Romney, um dos nomes fortes do Partido Republicano e ex-candidato à chefia de Estado, se reuniram neste sábado para tratar de assuntos de política externa, em uma conversa que gerou grande expectativa.

Romney, que foi derrotado por Barack Obama nas eleições presidenciais de 2012, manteve durante os últimos meses um enfrentamento aberto com Trump, mas, mesmo assim, o magnata nova-iorquino poderia lhe oferecer a chefia do Departamento de Estado, segundo veículos de imprensa americanos.

"Tivemos uma conversa de grande alcance sobre os vários cenários do mundo onde há interesses significativos dos Estados Unidos", disse Romney aos jornalistas após o encontro.

Em suas breves declarações, o ex-governador de Massachusetts explicou que trocou opiniões com Trump sobre esses assuntos e qualificou a discussão como "profunda".

"Agradeço a oportunidade de falar com o presidente eleito e espero ansiosamente o próximo governo e as medidas que ele vai tomar", afirmou o político republicano.

O encontro, que durou mais de uma hora, aconteceu em uma propriedade situada em um campo de golfe de Trump no estado de Nova Jersey, onde o bilionário está passando o fim de semana e receberá outros líderes republicanos.

Os veículos de imprensa americanos especularam hoje que existe a possibilidade de o presidente eleito oferecer o cargo de secretário de Estado a Romney, um moderado que contrastaria com outras nomeações feitas por Trump até agora.

Além disso, mesmo que Romney tenha recebido essa oferta, não está claro se ele vai aceitá-la, após as duras críticas que fez a Trump.

A reunião de hoje representa a primeira aproximação entre duas figuras que mantiveram forte tensão durante a campanha eleitoral.

O candidato presidencial republicano nas eleições de 2012 foi uma das vozes mais críticas a Trump dentro do partido e chegou a qualificar o magnata nova-iorquino de "fraude" e "farsante".

"Se nós, republicanos, elegermos Donald Trump como nosso candidato, as perspectivas de um futuro seguro e próspero serão frustradas", dizia Romney em gravações telefônicas para os eleitores para promover a candidatura republicana de John Kasich durante as primárias do partido.

Trump, por outro lado, também fez críticas a Romney por seu fracasso na campanha presidencial de 2012.

"(Romney) Foi um candidato horrível e fracassado", disse Trump durante a corrida eleitoral, e acrescentou que os republicanos se sentiram "terrivelmente decepcionados" pela campanha feita em 2012 contra o "presidente fracassado" Barack Obama.

"O homem (Romney) desapareceu. Não fez nada nas últimas semanas, enquanto Obama estava em todas as partes. Aquela (a votação de 2012) foi uma corrida que ele deveria ter vencido", opinou Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos