Mugabe diz que não será "expulso" da presidência no Zimbábue

Harare, 21 nov (EFE).- O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, de 92 anos e no cargo há quase três décadas, afirmou nesta segunda-feira que se deixar o poder fará "de forma adequada", mas não "expulso" por funcionários impacientes pela possibilidade de sucedê-lo no cargo.

"Se cometi erros, devem me dizer no que errei e vou deixo o cargo", disse Mugabe durante um encontro com os veteranos da guerra da independência do Zimbábue.

"Estão descontentes porque não estou morrendo", acrescentou posteriormente em declarações ao jornal local "Sunday Mail".

Desde julho, o país africano vive uma onda de protestos contra o governo de Mugabe que desembocaram em violentos enfrentamentos com as forças de segurança.

A grave situação econômica do Zimbábue, gerada em grande medida pela corrupção do governo de Robert Mugabe, suscitou uma resposta social sem precedentes que ameaça a continuidade do líder.

Mugabe está no poder desde 1987 e assegurou que voltará a concorrer nas eleições de 2018, mas nos últimos meses teve que multiplicar seus esforços para evitar as tensões dentro de seu partido, a União Nacional Africana do Zimbábue-Frente Patriótica, no qual já há candidatos para substituí-lo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos