Polícia frustra atentado terrorista e prende 7 pessoas na França

Em Paris

O serviço secreto da polícia da França deteve no último fim de semana sete supostos jihadistas nas cidades de Estrasburgo e Marselha, em operações que permitiram às autoridades frustrar a realização de um atentado terrorista, informou nesta segunda-feira o ministro do Interior do país, Bernard Cazeneuve.

Os suspeitos, que possuem entre 29 e 37 anos, são de nacionalidades francesa, marroquina e afegã, acrescentou Cazeneuve, que detalhou que seis deles não tinham registros no serviço de inteligência, e que as autoridades francesas foram alertadas por "um país aliado" sobre o sétimo, um marroquino.

A investigação da Direção Geral de Segurança Interior (DGSI), que foi iniciada há mais de oito meses, levou à detenção de cinco suspeitos no dia 14 de junho, às vésperas da Eurocopa, e dois deles acabaram presos.

Cazeneuve detalhou que a intervenção deste fim de semana permitiu frustrar "uma ação terrorista prevista há muito tempo contra nosso território".

A investigação aberta há poucos dias pela procuradoria antiterrorista permitirá, na opinião do ministro, saber se os suspeitos planejavam um atentado coordenado contra vários lugares do país.

As detenções em Estrasburgo ocorreram a menos de uma semana da abertura do Mercado de Natal na cidade alpina, o mais famoso de toda a França, que já foi alvo de uma tentativa de ataque terrorista em 2000.

O jornal "Le Parisien" detalhou que os quatro homens detidos em Estrasburgo esperavam uma entrega de armas e a rede de televisão "itélé" afirmou que as forças da ordem apreenderam vários armamentos.

As forças de segurança agiram no bairro da Meinau, onde outra célula jihadista foi desmantelada em maio de 2014, o que derivou em várias condenações, em particular uma de nove anos de prisão para Karim Mohammed-Aggag, irmão de um dos terroristas que participaram do ataque contra a casa de shows parisiense Bataclan em 13 de novembro de 2015.

Segundo o ministro, essas últimas detenções elevam para 418 o número de detidos vinculados com redes terroristas desde o início de ano, sendo que 43 delas aconteceram apenas neste mês de novembro.

"A ameaça terrorista nunca foi tão elevada", alertou Cazeneuve, que destacou que a mobilização do Executivo, tanto na França como com outros países, é "total", e inclui o reforço dos controles das fronteiras europeias e a luta contra o tráfico de armas.

O governo francês, começando por seu primeiro-ministro Manuel Valls, repetiu nos últimos dias a mensagem de que o nível de ameaça justifica que o estado de emergência (em vigor desde 13 de novembro de 2015) deve ser prolongado pelo menos até as eleições presidenciais de 2017.

Cazeneuve organiza hoje em Paris uma reunião de ministros do Interior do Sahel e da África Ocidental na qual será discutida a ameaça terrorista.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos