Turquia demite mais de 15 mil funcionários e fecha meios de comunicação

Em Ancara

  • Emrah Gurel/AP

O governo turco ordenou nesta terça-feira a demissão de mais de 15 mil funcionários, assim como o fechamento de 550 associações e nove meios de comunicação, por supostos vínculos com organizações que atentam contra a segurança do Estado, informou a agência turca "Anadolu".

A ordem determina a demissão de 7.586 policiais, 1.988 membros da armada e 5.434 funcionários de outras instituições.

Entre as entidades fechadas há várias ONG, como a Associação de Advogados Contemporâneos e a Associação da Paz, e 19 instituições privadas de saúde, assim como sete jornais locais, uma revista e uma emissora de rádio.

Tentativa de golpe militar

A medida foi ditada mediante um decreto emitido nesta terça-feira sob o estado de emergência introduzido após a fracassada tentativa de golpe militar de 15 de julho e fazem parte de um intenso expurgo feito por Ancara após a fracassada levante.

Enquanto milhares de empregados do Estado foram despedidos hoje, no mesmo decreto foram readmitidos 157 funcionários despedidos em uma sentença anterior.

Por outro lado, as autoridades turcas lançaram hoje uma operação contra supostos golpistas infiltrados nas forças aéreas, e a promotoria emitiu ordem de detenção contra 60 militares, segundo "Anadolu".

Sob o estado de emergência, o governo pode aprovar decretos-lei que só têm que passar pelo parlamento 30 dias depois, e as demissões ordenadas nesta terça-feira se somam às de outros milhares de funcionários do Exército, da Polícia, do Poder Judiciário, universidades, escolas e outras instituições nos últimos quatro meses.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos