Turquia retira lei sobre agressões sexuais a menores de idade

Ancara, 22 nov (EFE).- O governo da Turquia retirou nesta terça-feira a polêmica proposta de lei que permitia suspender as condenações por abuso sexual de menores que não tenha acontecido a força ou sob ameaça ou também se o agressor se casou com a vítima, informou a emissora "CNNTurk".

A alteração corresponde à lei que seria votada hoje no parlamento turco, foi "retirada", anunciou o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim.

"Estes temas serão discutidos em uma comissão parlamentar. Se uma proposta vem da oposição se desenvolverá. Se não, vamos resolver o problema com contribuições das ONG, cidadãos e especialistas. O lugar onde os problemas são resolvidos é a política", completou.

A decisão de voltar a moção ao parlamento foi anunciada depois que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, sugerisse ontem à noite que o problema deveria ser "resolvido com um amplo consenso" da sociedade.

Embora o parlamento turco tenha aprovado no último dia 18 a polêmica lei de forma temporária sua promulgação tinha sido postergada até hoje para dar espaço a eventuais emendas.

O projeto de lei provocou uma onda de protestos, entre outras organizações feministas, considerando que prejudica a luta contra o abuso sexual e casamento infantil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos