Bombardeios sobre populações no norte da Síria deixam ao menos 15 mortos

Cairo, 25 nov (EFE).- Pelo menos 15 pessoas morreram nesta sexta-feira em bombardeios aéreos contra as localidades de Taqad e Al Mansura, no oeste da província de Aleppo, no norte da Síria, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A ONG detalhou que 11 pessoas, entre elas quatro crianças e três mulheres, morreram nos bombardeios em Taqad, que também causaram "grande destruição".

Outras quatro pessoas morreram em um ataque aéreo contra a região de Maamal, em Al Mansura, onde o número de vítimas poderia aumentar, pois ainda há dezenas de feridos graves e desaparecidos.

O OSDH afirmou que, neste momento, prosseguem as operações de busca por sobreviventes e de corpos sob os escombros.

A ONG Shafaq, por sua vez, denunciou a destruição do hospital de ginecologia da cidade de Termanin, na província de Idlib, também no norte de país.

Em um vídeo divulgado na internet, a Shafaq assegurou que "a aviação russa criminosa destruiu o hospital" e informou que pelo menos duas pessoas morreram no ataque.

No filme, é possível ver a entrada e uma lateral do hospital, totalmente destruídas, além de uma ambulância arrasada ao lado dos escombros do edifício.

Já o OSDH confirmou esse bombardeio e elevou o número de mortos para três pessoas.

No entanto, o Observatório disse que não pôde confirmar se o ataque foi realizado por aviões sírios ou russos.

A província de Idlib está quase totalmente controlada pela Frente da Conquista do Levante (antiga Frente al Nusra e ex-braço da Al Qaeda na Síria) e outras facções aliadas, que costumam ser alvo de bombardeios russos e do regime sírio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos