Macri envia pêsames ao governo cubano após morte de Fidel Castro

Buenos Aires, 26 nov (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, transmitiu neste sábado suas condolências a Cuba pela morte de Fidel Castro aos 90 anos, ocorrida ontem à noite em Havana.

"Minhas condolências ao governo cubano pelo falecimento de Fidel Castro", escreveu o governante no Twitter.

A opinião do governo argentino também foi expressada pela chanceler, Susana Malcorra, em sua conta na mesma plataforma, onde afirmou que "um capítulo importante da história latino-americana se encerra". Na mensagem, ela também transmitiu suas condolências "ao governo e ao povo de Cuba".

Depois, o Ministério das Relações Exteriores lançou um comunicado lamentando o falecimento de uma pessoa que teve "papel relevante na história do século XX", e lembrou seu "apoio irrestrito e permanente" sobre a questão Malvinas, em referência à reivindicação da Argentina pela soberania desse arquipélago, nas mãos do Reino Unido.

"O governo argentino deseja reafirmar, neste momento de luto, sua vontade de continuar estreitando os profundos vínculos de amizade e cooperação que unem ambos os países", ressaltou o órgão.

Fidel Castro morreu aos 90 anos às 22h29 de sexta-feira (hora local; 1h29 de sábado em Brasília), conforme informou seu irmão, o presidente Raúl Castro, em pronunciamento na rede de televisão estatal. O corpo do líder histórico da Revolução Cubana será cremado, conforme sua "vontade expressa", explicou Raúl, que estava visivelmente emocionado.

O governo da ilha decretou nove dias de luto e anunciou um programa de homenagens públicas antes do velório, no cemitério de Santa Ifigenia, na cidade de Santiago de Cuba, considerada o berço da Revolução Cubana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos