China expressa desejo de que Cuba "continue a vontade de Fidel Castro"

Pequim, 28 nov (EFE).- O Ministério das Relações Exteriores da China expressou nesta segunda-feira seu desejo de que o governo cubano e o povo da ilha caribenha "continuem a vontade e as aspirações de Fidel Castro" e consigam novas conquistas, em reação ao falecimento do líder revolucionário, na sexta-feira passada, aos 90 anos.

O porta-voz do órgão, Geng Shuang, afirmou que seu país analisa os últimos detalhes para enviar uma representação oficial ao funeral de Fidel, que acontecerá no próximo domingo, 4 de dezembro, embora ainda não tenha sido informado quem irá liderar a delegação. Geng ainda lembrou que tanto o presidente da China, Xi Jinping, quanto o primeiro-ministro, Li Keqiang, enviaram condolências ao governo cubano no fim de semana.

A embaixada de Cuba em Pequim amanheceu hoje com flores e mensagens pelo falecimento de Fidel Castro nos muros, onde foram penduradas várias imagens do ex-líder cubano assim como de seu irmão, Raúl Castro, feitas durante suas viagens oficiais ao país (2003 e 2012, respectivamente).

Apesar da afinidade ideológica entre ambos os regimes comunistas, as relações entre China e Cuba foram distantes entre os anos 60 e 80, por conta da maior proximidade do castrismo à União Soviética, grande rival político do maoísmo naquela época.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos