Chuvas causam mortes, destroços e isolam comunidades na República Dominicana

Santo Domingo, 28 nov (EFE).- As chuvas das últimas quatro semanas na República Dominicana causaram pelo menos 15 mortes, danos de aproximadamente US$ 5 bilhões em infraestrutura e na agricultura, além do isolamento de dezenas de comunidades, segundo os relatórios oficiais.

O transbordamento de dois rios na noite do último domingo na província nortista de Puerto Plata causou cinco mortes e inundações em várias casas, enquanto as autoridades de socorro reportam que 19.076 pessoas estão deslocadas.

Três das cinco vítimas eram de uma mesma família que foi surpreendida pelas águas dentro de casa no município de Villa Isabela. Os corpos de Ney de Aza Santos, de 31 anos; Reynaldo de Aza, de 40, e Isaura de Aza, de 13 anos, foram recuperados nesta segunda-feira.

Outros dois homens morreram após serem arrastados quando tentavam atravessar uma correnteza a bordo de uma motocicleta também em Puerto Plata.

Com estas últimas cinco mortes, o total de vítimas pelas chuvas nas últimas semanas chega a 15, segundo confirmaram à Efe fontes de Defesa Civil do país.

As inundações de domingo em Villa Isabela causaram a destruição de sete casas, enquanto outras 200 também foram afetadas. Além disso, por causa das chuvas, o hospital municipal e o quartel da Polícia Nacional desse município tiveral que ser evacuados.

O último relatório do Centro de Operações de Emergências (COE) indica que 69 comunidades permanecem incomunicáveis, e 14 pontes e sete estradas estão danificadas. O boletim calcula que 3.514 casasforam afetadas, das quais 122 foram completamente destruídas.

A situação de desastre obrigou o governo dominicano a destinar recursos para as zonas impactadas, que incluem praticamente toda a região norte, noroeste e nordeste do país.

O presidente dominicano, Danilo Medina, que visitou essas zonas em várias oportunidades, afirmou nesta segunda-feira se sentir "consternado" com as mortes das últimas horas em Puerto Plata.

O Ministério da Agricultura afirmou que os danos pelo prolongamento do mau tempo superam os US$ 5 bilhões, montante no qual englobou as perdas de colheitas, a impossibilidade de transportar produtos, assim como os danos em pontes e estradas.

As autoridades reiteraram que as inundações repentinas, como as ocorridas na noite de domingo, se devem à saturação dos solos, por isso mantêm em alerta máximo, médio e mínimo 16 das 32 províncias do país.

O Ministério da Saúde Pública alertou sobre eventuais surtos de doenças devido à situação, por isso mobilizou a entrega de cloro para a água e a fumigação para eliminar o mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da zika, da dengue e da chicungunha.

A situação de calamidade, principalmente no norte dominicano, colcoou de novo em evidência a fragilidade de muitas das casas afetadas, localizadas muito perto de rios e riachos ou em encostas com risco de deslizamentos.

As ajudas locais e do exterior suavizaram o impacto dos danos, como os US$ 105.853 dólares destinados por Taiwan aos afetados ou e alimentos, roupas e água entregues pelo congressista eleito dos Estados Unidos, Adriano Espaillat, o primeiro dominicano de origem a ser eleito à Câmara dos Representantes do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos