Começam hoje os atos oficiais em Havana para homenagear Fidel Castro

Havana, 28 nov (EFE).- O programa oficial preparado pelo governo de Cuba para homenagear o falecido líder da Revolução Cubana, Fidel Castro, começa nesta segunda-feira em Havana com a instalação das cinzas do ex-presidente na Praça da Revolução, onde os cubanos poderão se despedir do comandante.

Ao longo de dois dias, as cinzas de Fidel - que em seus últimos desejos pediu expressamente para ser cremado - permanecerão no memorial a José Martí para que a população dê ao líder revolucionário seu último adeus, um evento que deve atrair grande quantidade de pessoas.

O luto oficial de nove dias decretado pelo governo começou no último sábado, mas esta segunda-feira marca o início de uma semana de homenagens, cujos detalhes foram divulgados na manhã de sábado, poucas horas depois de o presidente cubano, Raúl Castro, ter anunciado em um pronunciamento na emissora de televisão estatal a morte de seu irmão aos 90 anos.

Um dos eventos centrais acontecerá amanhã na Praça da Revolução, às 19h locais (22h de Brasília), horário para a qual a comissão organizadora das homenagens fúnebres programou um "ato de massas", segundo o programa oficial.

Esse é também o momento escolhido para que estejam presentes as delegações internacionais, líderes e personalidades que são esperados em Cuba entre hoje e amanhã, para darem adeus ao comandante, que pronunciou nesse local a maioria de seus longos e famosos discursos.

Entre as presenças confirmadas está a do rei emérito da Espanha, Juan Carlos, e é quase certo o comparecimento dos presidentes de países aliados de Cuba, como os de Venezuela, Nicolás Maduro; Bolívia, Evo Morales; Nicarágua, Daniel Ortega; e Equador, Rafael Correa.

Nas últimas horas também se soube que a Rússia estará representada pelo presidente da Duma do Estado (Câmara dos Deputados), Viacheslav Volodin, e a Grécia por seu primeiro-ministro, Alexis Tsipras.

Também não está descartada a presença do ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva, além dos ex-governantes Cristina Kirchner (Argentina) e Pepe Mujica (Uruguai), que mantiveram uma relação estreita com o líder revolucionário.

Na quarta-feira, dia 30 de novembro, as cinzas de Fidel Castro começarão um périplo pela ilha para que todos os cubanos possam dar seu último adeus ao comandante, uma viagem que fará ao revés o percurso da "Caravana da Liberdade", na qual os rebeldes de Sierra Maestra cruzaram o país, partindo de Santiago de Cuba, no triunfo da Revolução em 1959.

As cinzas de Fidel chegarão a Santiago, berço da Revolução, no sábado, 3 de dezembro, quando vai acontecer na praça Antonio Maceo outro ato de homenagem ao ex-presidente.

A cerimônia de sepultamento, que provavelmente será íntima e familiar, vai acontecer no domingo, dia 4, no cemitério de Santa Ifigenia, em Santiago de Cuba, o mesmo em que repousam as cinzas do herói e mártir da independência cubana, José Martí.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos