No funeral de Fidel Castro, Rússia reafirma que permanecerá ao lado de Cuba

Havana, 29 nov (EFE).- A Rússia permanecerá ao lado de Cuba e concede um "imenso valor" a seus laços com a ilha, afirmou nesta terça-feira o presidente da Duma, a Câmara dos Deputados do país, Vyacheslav Volodin, durante o ato de homenagem a Fidel Castro realizado na Praça da Revolução, em Havana.

Volodin, chefe da representação russa na homenagem póstuma a Fidel, iniciou seu discurso cumprimentando o "querido Raúl", em referência ao presidente cubano, Raúl Castro, a quem transmitiu "em nome de todo o povo russo as mais sinceras condolências" pela morte de seu irmão, na última sexta-feira, aos 90 anos.

O representante da Rússia destacou a "imensa" contribuição do ex-mandatário cubano para o estabelecimento e desenvolvimento das relações entre os dois países e reafirmou que, "apesar da distância" que os separa, a potência europeia estará sempre ao lado da ilha socialista.

"A causa do lendário comandante estará viva e a amizade entre Cuba e Rússia seguirá se fortalecendo", disse Volodin, terceira autoridade política de seu país.

Ele se referiu a Fidel como "símbolo da luta dos cubanos", uma luta "que foi coroada de sucessos" e graças ao qual o país "conseguiu preservar a coisa mais valiosa que possa ter qualquer Estado, sua independência".

"Sua vida é o exemplo de um verdadeiro patriota. Não puderam quebrar sua vontade nem a do povo cubano. Fidel, sua força e fé foram exemplos para muitos países e povos do mundo na luta pelo direito de escolher seu caminho soberano", acrescentou.

Nos últimos anos, Cuba e Rússia tentam restabelecer a estreita cooperação que mantinham antes da desintegração da União Soviética. EFE

lcl/phg

(foto)(vídeo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos