Mujica afirma que revolução cubana perdurará mais que Donald Trump

Montevidéu, 1 dez (EFE).- O ex-presidente do Uruguai, José Mujica, disse nesta quinta-feira que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, "vai passar", mas que "a revolução (cubana) deu mostras de capacidade de resistência".

"Aposto que a revolução dura mais que Trump", declarou Mujica à emissora "Rádio Uruguai" em Havana, onde assistiu aos atos fúnebres pelo ex-presidente cubano Fidel Castro.

O agora senador uruguaio opinou que, mesmo que possa haver algum retrocesso nas relações entre Estados Unidos e Cuba durante o mandato de Trump, este será temporário e, além disso, terá que enfrentar "inimigos poderosos".

"Trump tem inimigos poderosos, que não são os que aparecem, são a nova plutocracia mundial, as multinacionais. Vir com projetos nacionalistas de trancar o país quando eles têm a caixa registradora aberta e estão pensando no mundo inteiro? Não será fácil", ponderou Mujica.

Além disso, Mujica declarou que, apesar de não saber o que vai ocorrer com os Estados Unidos, sente desconfiança, já que seria perigoso que Trump concretizasse 15% de suas promessas.

O presidente eleito americano afirmou durante sua campanha que "revogaria" as medidas executivas para restaurar as relações com Cuba levadas adiante pelo atual presidente Barack Obama, a não ser que "o regime dos Castro" restaure "as liberdades na ilha".

"Se Cuba não está disposta a fazer um acordo melhor para o povo cubano e os cubano-americanos em seu conjunto, porei um fim no acordo", escreveu Trump em sua conta no Twitter.

Com relação à homenagem a Castro, o ex-mandatário uruguaio comentou que foi um ato gigantesco no qual se viu refletida a revolução cubana e destacou a presença de líderes de todo o mundo, especialmente os representantes africanos.

"Acredito que foi uma homenagem e um reconhecimento, além do socialismo ou das visões políticas de Fidel, foi um agradecimento por sua bizarra atitude frente ao colonialismo", completou.

O ex-presidente cubano morreu no último dia 25 de novembro, aos 90 anos, e no dia 29 foi realizada uma homenagem ao líder revolucionário.

No grande ato na Praça da Revolução de Havana estiveram mais de 20 chefes de Estado e de governo chegados de todo o mundo, liderados pelo governante cubano, Raúl Castro.

Embora as autoridades cubanas não tenham oferecido dados sobre o número de pessoas que se reuniram no Praça da Revolução, com as silhuetas de Camilo Cienfuegos e Ernesto Che Guevara iluminadas ao fundo, o local tem capacidade para acolher mais de um milhão de pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos