Putin reconhece que crise russa se deve a problemas internos e não a sanções

Moscou, 1 dez (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, afirmou nesta quinta-feira que as principais causas das dificuldades econômicas que o país atravessa são de caráter interno, e não obedecem às sanções ocidentais.

"As principais causas do freio de nossa economia estão antes de mais nada em nossos problemas internos: no déficit de recursos de investimento, de tecnologias modernas, de profissionais, no desenvolvimento insuficiente da concorrência e no clima de negócios deficiente", disse Putin em seu discurso anual sobre o estado da nação.

Ao mesmo tempo, o presidente russo afirmou que o país, apesar das sanções internacionais e da situação adversa nos mercados, "assegurou sua estabilidade macroeconômica e preservou as reservas financeiras".

"Há dois anos encaramos desafios econômicos, com uma conjuntura desfavorável nos mercados mundiais, com sanções. Tentaram nos obrigar a dançar ao som de outros, contra os interesses nacionais", disse Putin, acrescentando que, apesar dessa carga negativa, a produção industrial do país registra um leve aumento.

Este aumento da produção industrial, acrescentou, "é uma tendência positiva, que é necessário conservar".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos