Aviões da FAB partem de Medellín com caixões da delegação da Chapecoense

Medellín (Colômbia), 2 dez (EFE).- Os corpos dos 64 brasileiros que morreram na queda do avião que transportava o time da Chapecoense receberam nesta sexta-feira homenagens militares na base militar de Rionegro, nos arredores de Medellín, onde depois foram embarcados de volta ao Brasil.

Os caixões foram colocados em três aviões Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) que partiram com uma diferença de aproximadamente meia hora entre um e outro.

Alguns dos jornalistas falecidos foram repatriados em aviões fretados pelas emissora "Fox Sports" e "Globo".

A viagem dos aviões da FAB com destino a Chapecó, em Santa Catarina, deve terminar na manhã deste sábado, uma vez que, segundo as autoridades, as aeronaves farão escala técnica em Manaus.

Os caixões, cobertos com uma bandeira branca com o escudo verde da equipe de Chapecó, foram recebidos na pista da base por membros da Força Aérea Colombiana (FAC) e da polícia.

Da mesma forma que na manhã desta sexta-feira, quando foram repatriados os restos mortais dos cinco bolivianos falecidos na tragédia da segunda-feira passada, que deixou 71 mortos, os militares formaram um corredor de honra na pista para receber os brasileiros.

Uma bandeira da Colômbia e outra do Brasil tremularam na pista da base militar adjacente ao Aeroporto Internacional José María Córdova, para onde se dirigia o avião da companhia aérea boliviana Lamia quando caiu.

Os brasileiros falecidos são 19 jogadores da Chapecoense, 25 dirigentes, membros da comissão técnica, convidados do clube e 20 jornalistas que cobririam o jogo de ida da final da Copa Sul-Americana que a equipe jogaria na quarta-feira passada em Medellín com o Atlético Nacional.

O cortejo fúnebre saiu de Medellín e percorreu mais de 40 quilômetros para chegar à base militar acompanhado em alguns trechos por pessoas que, de ambos lados da estrada, agitavam lenços brancos para se despedir dos falecidos.

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, que acompanhou o cortejo, disse estar muito agradecido com todos os colombianos e afirmou que os chapecoenses esperam a chegada dos restos mortais das vítimas em clima de grande comoção.

"Todos os colombianos são muito amáveis, obrigado por tudo, estamos aqui de coração puro (...). Os cidadãos estão ansiosos pela espera porque entendemos que entregar os corpos é, acima de tudo, aliviar um pouquinho a dor da saudade, a dor da perda", afirmou Buligon.

Além disso, o presidente destacou que Chapecó fará uma homenagem a Medellín por sua solidariedade após a tragédia aérea com a inauguração de um espaço público que levará o nome da cidade colombiana.

"No ano que vem tenho a vontade de homenagear a cidade de Medellín com um espaço público. Farei contato com o prefeito (Federico Gutiérrez) para que possa acompanhar a inauguração de um espaço que vai se chamar 'Cidade de Medellín'", disse Boligon.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos