Primeiro-ministro búlgaro não formará governo e abre porta para novo pleito

Sófia, 2 dez (EFE).- O primeiro-ministro interino da Bulgária, o conservador Boiko Borisov, rejeitou nesta sexta-feira a incumbência de formar novo governo depois de pedir sua renúncia do cargo em novembro, abrindo assim a possibilidade da realização das terceiras eleições antecipadas em três anos.

Borisov, líder da formação Cidadãos para o Desenvolvimento Europeu da Bulgária (GERB), renunciou junto com todo seu Executivo depois que a candidata governamental perdeu as eleições presidenciais de 13 de novembro para Rumen Radev, o candidato apoiado pelos socialistas.

O primeiro-ministro tinha prometido que renunciaria se sua candidata não vencesse o pleito.

O presidente em fim de mandato búlgaro, Rosen Plevneliev, deve agora encarregar a formação do Executivo ao Partido Socialista, o segundo do parlamento, embora esta formação já tenha anunciado que também não está disposta a assumir essa tarefa.

Assim, tudo indica que o próprio Plevneliev terá que liderar um Executivo interino até o final de janeiro, quando passará o mandato a Radev, cujo primeiro ato será dissolver o parlamento e convocar novas eleições.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos