China protesta perante EUA por conversa entre Trump e presidente Tsai

Pequim, 3 dez (EFE).- O governo chinês apresentou neste sábado um protesto formal perante os Estados Unidos pela conversa que mantiveram na sexta-feira o presidente eleito desse país, Donald Trump, e a presidente taiuanesa, Tsai Ing-wen.

Segundo informa a agência oficial "Xinhua", a China pediu a Washington que mantenha seu compromisso com o princípio de uma "só China", pelo qual afasta as aspirações independentistas de Taiwan a favor de Pequim.

Além disso, o Executivo chinês pede a Washington que maneje de forma cuidadosa os assuntos relacionados com Taiwan para evitar que as relações bilaterais sejam danificadas.

O protesto ocorre depois que o ministro das Relações Exteriores chinês, Wang Yi, tratou de minimizar o assunto.

Wang afirmou nesta manhã em entrevista à televisão "Phoenix TV" que a chamada é um "pequeno truque" de Taiwan que não alterará o respaldo dos Estados Unidos a Pequim.

No entanto, advertiu que a base para o desenvolvimento das relações entre ambas superpotências vive no respeito ao princípio de "uma só China".

A chamada ocorre em um momento de tensões entre Pequim e Taiwan após a chegada ao poder em janeiro de Tsai, do independentista Partido Democrata Progressista (PDP).

Pequim elevou a pressão sobre a ilha cortando todos os contatos em nível oficial para forçar Tsai a reconhecer que a ilha é parte da China.

Daí a importância para Pequim da chamada entre Trump e a presidente taiuanesa, um contato de alto nível que não ocorria há quase 40 anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos